Dinheiro

Tem 30 anos? 6 objetivos financeiros para alcançar agora.

3 min

Aos 30 anos podemos estar solteiros, casados ou divorciados, ter filhos ou andar a viajar pelo mundo, ter casa própria ou alugada, mas independentemente dos perfis e dos objetivos que temos, os especialistas dizem que há decisões financeiras que devem ser tomadas na quarta década da vida, para um futuro sem sobressaltos.

1. Qual é o seu património?

Não se pode dizer que haja um número mágico ou ideal em termos de património, aos 30 anos. Mas, há fórmulas que ajudam a perceber o que é que construiu até aqui. E este é o momento para fazer essa avaliação.
Para apurar o seu património líquido, deve somar o valor de todos os ativos (bens que possam ser convertidos em dinheiro) e subtrair o valor do passivo (as dívidas). Se o saldo for positivo, significa que está no bom caminho. Se o valor for negativo, precisa de rever a sua estratégia de poupança. Diz quem sabe que o mínimo indispensável para estar preparado para uma qualquer tempestade financeira, é poupar 10% do salário.

2. Onde está a investir o seu dinheiro?

Aos 30 anos, ter dinheiro não basta. Nesta fase da vida já é importante saber como geri-lo, onde aplicá-lo, como fazê-lo crescer décadas fora.
Se o seu objetivo é multiplicar as poupanças sem grande esforço, tem de fazer várias coisas. A primeira é saber quanto quer e pode investir; a segunda é fazer um teste para saber qual é o seu perfil de investidor – mais conservador ou gosta de arriscar – e depois precisa de se informar sobre as melhores solução para o seu investimento. Ainda há depósitos bancários com taxas generosas, sobretudo para novos clientes, fundos de investimentos ou ações. Mas há uma regra de ouro: se o investimento for arriscado, tem de estar disposto a perder tudo aquilo que investir.

3. Tem uma reserva de emergência?

Tal como os países, as famílias, os cidadãos, devem ter uma almofada financeira. Trata-se de um montante a que pode aceder ou que pode resgatar a qualquer momento, para fazer face a uma despesa inesperada ou a um momento de turbulência financeira. Por mais otimista que seja, pense que os azares acontecem, como uma situação de desemprego prolongado ou uma doença grave. Esta almofada financeira pode ser um conforto que evita ter de pedir um empréstimo bancário à pressa, que seria sempre um encargo extra em cima de um problema já existente. Vale a pena pensar nisto e pôr de parte o suficiente para suportar todos os seus encargos mensais durante 3 a 6 meses.

4. Tem um bom seguro de saúde?

Este é um daqueles gastos para os quais queremos pagar para nunca usar. Mas ter um seguro de saúde significa poder viver mais tranquilamente na saúde ou na doença. Um bom seguro de saúde dá-lhe a liberdade para escolher o hospital, o especialista, ouvir uma segunda opinião, mas também de ser atendido, observado, operado mais rapidamente. E há momentos em que a saúde – que não tem preço – também não tem tempo.

5. Tem um imóvel seu?

Ter um imóvel é um trunfo em qualquer idade. Mas ter um imóvel aos 30 anos, e nos dias que correm, é um trunfo especialmente valioso. Com o mercado imobiliário em alta e o crédito habitação com regras mais apertadas, quem já tem um imóvel tem a vida facilitada, tem uma segurança extra, tem um ativo em mãos.
Se quer dar o passo de comprar uma casa, não o tome de ânimo leve.
Três conselhos: faça simulações e contrate um crédito pessoalmente; peça uma proposta de crédito para taxa variável e taxa fixa e compare propostas de várias instituições financeiras.

6. Começar a pensar na reforma

Não é cedo para começar a pensar na reforma, aos 30 anos, sobretudo quando sabemos o quão incerta é a pensão que nos espera. E quando sabemos que a esperança média de vida indica que vamos viver muitos e longos anos em plena reforma e devemos garantir que vamos vivê-la com a melhor qualidade possível. Que valor quer ter nos seus anos dourados? Agora, tem entre 30 e 40 anos para conseguir juntar esse montante. O que vai fazer?

Com 30 anos e com estes objetivos em mãos, estará certamente bem preparado para aqueles que podem vir a ser os melhores anos da sua vida.