Dinheiro

Quer benefícios fiscais no próximo IRS à boleia de um PPR?

2 min

Provavelmente já ouviu falar de PPR: Planos de Poupança Reforma. Explicado de uma forma simples, este produto garante que, quando chegar à reforma, tem à sua espera um mealheiro extra para viver os anos dourados.

Vale a pena pensar neste produto, que permite diversificar o investimento em ações e obrigações, sem precisar de ter muitos conhecimentos financeiros. E que tem a vantagem de deixar escolher com liberdade que montante entregar, quando entregar e como reforçar o PPR.

Depois, há PPR com maior ou menor potencial de rentabilidade, o que tem que ver com o facto de aportarem mais ou menos risco. A escolha tem de ser sua e deve ser adequada ao seu perfil e às suas necessidades.

Se ainda não se sente motivado para poupar para a reforma, aqui fica um incentivo extra: benefícios fiscais. Ao subscrever ou reforçar a sua conta PPR, usufrui de um benefício fiscal que, regra geral, tem as seguintes condições: dedução no IRS de 20% do valor aplicado, até 400 euros por pessoa, para quem subscrever até aos 35 anos. Dos 35 e até aos 50 anos, o limite máximo de dedução baixa para 350 euros. Depois dos 50 anos, o valor desce para 300 euros.

Qual o valor a investir para ter a dedução máxima no IRS?

Se tem até 35 anos, terá de subscrever um PPR de 2.000€ para ter o benefício fiscal de 400€. Se tiver entre 35 e 50 anos, terá de investir 1.750€ para usufruir dos 350€ e, para quem tem mais de 50 anos, a subscrição necessária para ter 300€ em benefício é de 1.500€.

Para efeitos fiscais, considera-se a idade do contribuinte a 1 de janeiro do ano em que efetue a aplicação do dinheiro cuja dedução pretende obter.

Como vê, quanto mais cedo subscrever um PPR, maior é o benefício fiscal. Mais cedo na idade e – neste caso – mais cedo no calendário, também. Se o fizer até ao final do ano, já vai ter benefícios fiscais no IRS seguinte. Lembre-se que há situações em que pode resgatar os PPR sem penalizações.

Ganha hoje e ganha amanhã.