Crédito

Crédito online na hora

5 min
crédito online na hora

Se precisa de dinheiro com urgência, o crédito online é uma das vias mais rápidas para obter financiamento, permitindo-lhe ter o dinheiro na conta de forma quase imediata.

A rapidez de resposta e a simplicidade do processo fazem com que o crédito online seja um dos mais procurados pelos consumidores. Por ser feito através da internet, costuma ser uma solução de financiamento mais rápida do que as outras e, por isso, a melhor alternativa para quem precisa de dinheiro com urgência.

Se procura uma solução imediata, descubra como funcionam os empréstimos online e como usufruir de um crédito que vá ao encontro das suas necessidades pessoais e financeiras.

Pedir um crédito online na hora

Tal como o próprio nome indica, os créditos urgentes ou créditos na hora, são a melhor solução para quem precisa de dinheiro de forma rápida e sem grande complexidade, já que ao contrário de outros financiamentos, são tratados através da internet. Estes termos surgem, quase sempre, associados ao crédito pessoal, que pode ser utilizado para várias finalidades.

Por outro lado, se o seu objetivo é comprar carro ou casa através de crédito automóvel ou crédito habitação, conte com um tempo de resposta mais demorado. São financiamentos mais criteriosos e que implicam quantias elevadas e a análise de outros fatores. Por norma, quanto maior o valor, mais tempo demorará a obter uma resposta.

Quais os documentos para pedir um crédito online?

Se o fizer junto da Cofidis, por exemplo, vai precisar dos documentos que lhe indicamos abaixo. Caso exista um segundo titular, precisará igualmente de todos os documentos deste.

  • Documentos de identificação, nomeadamente, cartão de cidadão ou bilhete de identidade e cartão de contribuinte. Se for estrangeiro, autorização de residência;
  • Comprovativo de morada atual (pode apresentar uma fatura da luz, gás ou telecomunicações);
  • Comprovativo de NIB/IBAN;
  • Comprovativo de rendimentos;
  • Se for trabalhador por conta de outrem, para créditos até 7600 euros, o recibo de vencimento do último mês. Para créditos a partir de 7600 euros o recibo de vencimento dos últimos três meses;
  • Se for trabalhador por conta própria, a declaração de IRS do último ano;
  • Se for reformado, a declaração anual de reforma;
  • Mapa de Responsabilidades de Crédito (disponível no site do Banco de Portugal).

O crédito pessoal online permite-lhe enviar toda a documentação através da internet. Além de evitar filas de espera nos correios ou balcões do banco, obtém uma resposta em menos tempo.

Quanto tempo demora a resposta?

Para pedidos de crédito online, a resposta vai depender de vários fatores, nomeadamente da entidade financeira, do montante solicitado, da taxa de esforço e do tipo de crédito que pediu. E quanto mais dinheiro pedir, mais exigente e demorada será a análise ao pedido. Se o fizer junto da Cofidis, poderá obter uma resposta no prazo de 24 horas.

Relativamente ao prazo para o dinheiro cair na conta, também depende da entidade financeira e do montante que pedir. Mas regra geral, se o montante for baixo, obtém pré-aprovação imediata e após o envio online de toda a documentação, o dinheiro ficará disponível na sua conta num prazo de 48 horas.

Leia mais  Não consigo pagar a renda. E agora?

Qual o valor máximo de um crédito online?

Por norma, é possível pedir um crédito pessoal rápido através da internet até um limite máximo de 50 000 euros. No entanto, este valor varia consoante a entidade financeira, pelo que deve confirmar esta informação antes de consolidar o pedido.

No que toca aos prazos de pagamento, também vai depender do tipo de crédito online, mas a maior parte pode ser paga até 84 meses.

Faça uma simulação online

Se já tem uma ideia da quantia que vai precisar, utilize um simulador de crédito. É rápido e intuitivo e fica imediatamente a saber a prestação mensal que ficará a pagar e qual a taxa de juro. Para tal, basta indicar de quanto precisa e definir o prazo de pagamento (entre 24 e 84 meses).

Uma dica. Para comparar créditos, olhe para o MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor). O MTIC indica o montante total que terá de pagar ao banco durante todo o período do empréstimo. Inclui o montante total do empréstimo com os custos do crédito, incluindo juros, comissões, impostos e outros encargos imputados pelo banco.

Atenção aos intermediários de crédito

Os intermediários de crédito são entidades que funcionam como mediador entre o consumidor e a instituição de crédito, durante o processo de concessão do financiamento, e não podem, em momento algum, conceder créditos nem intervir na comercialização de outros produtos ou serviços bancários.

Estas entidades, podem estar vinculadas, ou não, às instituições que concedem créditos:

Com vínculo: dividem-se entre os intermediários de crédito vinculados e os intermediários de crédito a título acessório. Estes últimos têm contrato de vinculação com instituições que concedem crédito, atuando em nome e sob responsabilidade total e incondicional dessas instituições. É o caso dos supermercados, lojas de retalho ou agências imobiliárias que oferecem serviços de crédito para compra dos produtos ou serviços que vendem.

Sem vínculo: não têm contrato de vinculação com as instituições que concedem crédito. Como tal, podem declarar-se como “independentes”, atuando com base num contrato de intermediação celebrado com o próprio consumidor.

Sempre que precisar de recorrer a uma entidade ou intermediário de crédito, verifique se a empresa em questão exerce funções de intermediário, através do Portal do Cliente Bancário. Se estiver autorizada, a entidade vai constar de duas listas publicadas pelo Banco de Portugal:

  1. A lista de entidades habilitadas a atuar como intermediários;
  2. A lista de instituições de crédito, sociedades financeiras, instituições de pagamento e instituições de moeda eletrónica que funcionam como intermediários de crédito ou de consultoria em contratos de crédito em que não atuem como mutantes.

O que achou deste artigo?