Seguros

Como funciona o sistema de bónus-malus nos seguros?

4 min

Descubra o que é o sistema de bónus-malus, em que situações é aplicado e como é que pode influenciar o prémio dos seus seguros.

Quando se subscreve um seguro, as grandes preocupações são, geralmente, o tipo de coberturas incluídas e o valor da mensalidade. Mas, na altura de assinar um contrato com uma seguradora, é fundamental que esteja também informado sobre todas as condições que influenciam a apólice para não ser surpreendido por penalizações ou pela falta de cobertura.

Um dos fatores que mais pode influenciar o valor do seguro é o sistema de bónus-malus. Neste artigo, explicamos-lhe o que é, em que coberturas é aplicado e como pode impactar o prémio dos seus seguros.

O que é o sistema de bónus-malus?

O bónus-malus é um sistema de valorização ou penalização do prémio de um seguro e está associado à ocorrência ou ausência de sinistros. O bónus equivale à margem de redução do valor da mensalidade e, por outro lado, o malus representa o aumento da anuidade. Este sistema é atualizado anualmente, na altura de renovação do contrato de seguro.

Na prática, se houver ausência de sinistros durante um determinado período, a seguradora aplica o bónus, verificando-se uma redução do prémio de algumas coberturas. Por outro lado, se houver um sinistro que implique o pagamento de uma indemnização por parte da seguradora, na anuidade seguinte é aplicado o malus, o que significa que o valor do prémio aumenta.

Como funciona o sistema de bónus-malus?

Os valores estipulados para o sistema de bónus-malus não dependem da culpabilidade do tomador do seguro, mas sim da responsabilidade que a seguradora assumir. Imagine que tem um seguro automóvel que cobre danos próprios e uma árvore caiu em cima do seu carro. Apesar de não ter nenhuma culpa no sucedido, vai ter de acionar o seguro e a sua seguradora vai assumir a responsabilidade e indemnizá-lo pelos danos. Logo, na anuidade seguinte será aplicado o sistema malus e o valor do seu seguro vai ser agravado.

Já num cenário em que alguém bate no seu carro e a seguradora do outro condutor assume a responsabilidade, a anuidade do seu seguro não é agravada porque a sua seguradora não teve de indemnizar ninguém.

No fundo, o sistema malus só é aplicado quando a sua seguradora tem de assumir a responsabilidade por um sinistro – mesmo que não seja culpa sua – e tem de pagar danos, despesas ou indemnizações.

Por outro lado, se não precisar de acionar o seu seguro durante um determinado período, a sua seguradora dá-lhe uma bonificação, já que não representa um risco acrescido.

Em que coberturas se aplica este sistema?

Apesar de ser maioritariamente associado aos seguros automóvel, o sistema de bónus-malus aplica-se a diferentes tipos de seguros. E a sua aplicação não depende do tipo de seguro contratado, mas sim das coberturas específicas de uma apólice.

Leia mais  6 estratégias para baixar a prestação da casa

O sistema de bónus-malus é aplicado se ativar uma destas coberturas dos seus seguros:

  • Responsabilidade civil;
  • Furto ou roubo;
  • Choque, colisão e capotamento (não inclui quebra de vidros);
  • Incêndio, raio ou explosão.

Como é que se calcula o sistema de bónus-malus?

A aplicação do sistema de bónus-malus é diferente, dependendo do seguro e da seguradora, mas em todos os contratos de seguro deve estar descrito como é que o sistema é aplicado. Geralmente, os valores e as fórmulas de cálculo das bonificações e das penalizações vêm numa tabela no anexo das condições gerais da apólice do seguro.

O que acontece se trocar de seguro?

Depende das condições do novo seguro. Vejamos o exemplo do seguro automóvel. Imagine que compra um segundo carro e quer fazer o seguro na mesma companhia que já utiliza. O sistema de bónus-malus pode ser transferido se o tomador do seguro se mantiver como condutor habitual e se o novo carro corresponder à mesma categoria de carta de condução do anterior. Já se o tomador do seguro não for o condutor habitual, não há transmissão do sistema de bónus-malus. O mesmo acontece se decidir transferir o seguro para outra seguradora.

Esta transmissão aplica-se quer em caso de bónus, quer em caso de malus. Por isso, se tiver uma bonificação do seguro automóvel terá todo o interesse em mantê-la se mudar de carro. Já se tiver uma penalização, é aconselhável que consulte várias seguradoras para perceber qual lhe dá as melhores condições, antes de fazer um seguro para o novo carro.

Como evitar o agravamento do prémio do seguro

Sempre que aciona o seu seguro e a seguradora tem de assumir indemnizações, despesas ou danos, o valor da apólice aumenta. Assim, se quer evitar penalizações no seu seguro, deve ponderar se vale a pena declarar certos incidentes. Se o agravamento do seguro for alto, e uma vez que não é obrigatório comunicar todos os sinistros à seguradora, poderá compensar assumir as despesas do seu bolso.

Outros fatores que influenciam o prémio do seguro

Não é só o sistema de bónus-malus que influencia o preço de um seguro. No caso do seguro automóvel, por exemplo, o prémio é mais elevado se for jovem, tiver carta de condução há pouco tempo ou se já tiver multas ou sinistros registados. Além disso, as características e a antiguidade do veículo, o valor da franquia e as coberturas contratadas também têm influência na anuidade que irá pagar.

Se está a precisar de contratar um novo seguro, faça várias simulações e não se esqueça de analisar todos estes fatores para perceber que seguradora lhe dá as melhores condições.

O que achou?