Poupar

6 estratégias para baixar a prestação da casa

6 min
Jovem do sexo masculino está a equacionar como pode baixar as prestações da casa

O pagamento do crédito à habitação ocupa uma fatia cada vez maior do orçamento familiar, mas há formas de baixar a prestação da casa.

A Euribor, que é a taxa de referência usada nos créditos à habitação, tem vindo a subir nos últimos anos. Para quem tem empréstimos, isso significa um aumento nas mensalidades. De forma a enfrentar esta subida, há quem tenha de procurar soluções para baixar a prestação da casa e evitar o incumprimento.

Se essa é a sua situação, deixamos-lhe seis estratégias para que consiga pagar o seu crédito.

Consolidar créditos

O crédito consolidado possibilita poupanças mensais significativas. Esta estratégia permite juntar vários tipos de empréstimos, mesmo que sejam de bancos diferentes, num contrato único com uma só prestação.

Apesar de não resolver o problema do endividamento, consolidar créditos pode representar um alívio financeiro para as famílias: a consolidação permite uma poupança mensal que pode chegar aos 60%, já que oferece taxas de juro mais acessíveis e prazos de pagamento alargados.

Se, além do crédito à habitação, tem outros créditos com mensalidades elevadas, pode considerar agregá-los num crédito consolidado hipotecário. Assim, irá pagar menos mensalmente por todos os créditos e consegue reduzir a prestação da casa.

Caso esteja a ponderar esta solução, a Cofidis oferece um Crédito Consolidado com taxas, mensalidades e prazos fixos, sem comissão de abertura.

Amortizar o crédito à habitação

Se tem algum dinheiro de lado, amortizar o seu crédito pode ser uma boa opção para baixar a prestação da casa. A amortização antecipada consiste em pagar o crédito antes da data prevista e pode ser parcial ou total.

Na amortização parcial, o consumidor pode reembolsar parte do capital em dívida, a qualquer momento e no montante que quiser. Este tipo de amortização permite reduzir o valor das prestações mensais, uma vez que também reduz o valor total em dívida. Na amortização total, o consumidor reembolsa todo o capital do empréstimo em dívida antes do final do prazo do contrato.

Por norma, a amortização do crédito implica o pagamento de uma comissão de reembolso antecipado. No caso das taxas variáveis a comissão é, no máximo, de 0,5% do valor amortizado. Já no caso da taxa fixa, pode ir até aos 2%. No entanto, até 31 de dezembro de 2024 os consumidores estão isentos do pagamento desta comissão ao amortizar créditos à habitação para compra ou construção de casa própria permanente. Estão abrangidos por esta medida os contratos com taxa variável ou taxa mista, desde que no momento da amortização se encontrem no período de taxa variável.

Renegociar o crédito

Os juros, o spread e o prazo do crédito, por exemplo, influenciam o valor das prestações que paga mensalmente ao banco. Por isso, pode ser uma boa escolha tentar renegociar uma proposta com melhores condições de forma a baixar a prestação da casa e o custo total do empréstimo. E há vários aspetos do contrato que pode alterar.

Prazo da taxa Euribor

A Euribor, que significa “Euro Interbank Offered Rate”, calcula-se com base nas taxas de juros às quais os bancos da zona do euro emprestam dinheiro entre si no mercado interbancário. Trata-se de um dos indexantes mais comuns para o crédito à habitação em Portugal. A Euribor é estimada para diferentes prazos, por exemplo três, seis ou 12 meses, com variações nas taxas de juros conforme o prazo escolhido.

Se tiver optado pela Euribor a 12 meses para o seu crédito à habitação, alterá-la para três ou seis meses pode representar uma poupança imediata nas prestações. Mas esta perspetiva só vai acontecer se a Euribor estiver numa tendência de descida. Não se esqueça que quanto menor o prazo mais o valor das prestações vai oscilar e, portanto, a estabilidade é menor.

Leia mais  Programa de Apoio ao Arrendamento: quem pode aderir?

Regime da taxa de juro

Se tem uma taxa variável, pode considerar alterá-la para a taxa fixa ou mista. A grande vantagem da taxa fixa é que não está dependente das oscilações da Euribor. Como irá pagar sempre o mesmo, fica protegido dos aumentos da prestação quando a Euribor aumenta.

Também tem a opção de escolher a taxa mista, com um período inicial de taxa fixa durante dois ou três anos, seguido de taxa variável. Esta solução pode compensar se o valor proposto pelo banco durante o período de taxa fixa for inferior às médias da Euribor.

Spread

Já ouviu falar deste termo? O spread é a componente da taxa de juro que acresce ao indexante (por exemplo a Euribor) e que é definida livremente pela instituição de crédito para cada contrato. Saiba que pode tentar negociá-lo para que seja reduzido. Normalmente, a descida do spread não representa  uma diminuição muito significativa nas prestações, mas pode traduzir-se numa poupança de centenas de euros no valor total do empréstimo.

Prazo do crédito

Pode ainda considerar renegociar o período do seu empréstimo. No entanto, esta opção irá fazer com que pague mais no final do contrato, na medida em que feitas as contas globais estará a pagar mais juros.

Antes de pedir o alargamento do prazo, deve ter em atenção os limites para a concessão de créditos:

  • Até 40 anos para clientes com idade até 30 anos;
  • Até 37 anos para clientes entre 30 e 35 anos;
  • Até 35 anos para clientes com mais de 35 anos;

Transferir o crédito para outro banco

Transferir o seu empréstimo para um banco que lhe ofereça condições mais vantajosas também pode ajudar a reduzir a prestação do crédito à habitação. Neste caso, tem de fazer o reembolso total antecipado no banco de origem do empréstimo. Saiba quais as despesas que podem estar associadas à alteração:

  • Comissão de reembolso antecipado (existe isenção até 31 de dezembro de 2024);
  • Comissões bancárias e de avaliação do imóvel;
  • Escritura;
  • Impostos.

A maioria dos bancos já oferece campanhas competitivas que cobrem a totalidade ou parte das despesas habitualmente associadas à transferência do crédito à habitação.

Pedir a bonificação dos juros

Até 31 de dezembro de 2024 pode pedir a bonificação dos juros do seu crédito, que não é mais do que um “desconto” na componente dos juros da mensalidade. A bonificação pode ser pedida sempre que a diferença entre a taxa Euribor no início do crédito e a taxa atual ultrapasse os 3%.

Esta medida aplica-se a contratos de crédito até 250 mil euros para aquisição, obras ou construção de habitação própria permanente, celebrados até 15 de março de 2023. Além disso, os contratos têm de estar associados a taxa variável e não pode haver prestações em atraso.

Renegociar seguros e produtos financeiros

Associados ao crédito à habitação estão os seguros de vida e multirriscos, que são sempre obrigatórios. No entanto, pode renegociá-los ou mudá-los para outra seguradora para baixar a prestação do seu crédito.

Além disso, muitos bancos praticam o bundling, ou seja, a comercialização de produtos e serviços financeiros – como cartões de crédito ou domiciliação de ordenado – juntamente com o crédito à habitação, que tornam as condições do empréstimo mais vantajosas. Para reduzir a sua prestação, pode tentar negociar, ou até mesmo eliminar, estes extras.

Antes de avançar para qualquer uma destas soluções, deve, primeiro, analisá-las bem. Informe-se junto das instituições financeiras para saber, tendo em conta o seu caso, qual é a melhor opção para baixar a prestação da casa.

simulador credito consolidado

O que achou deste artigo?