Poupar

12 dicas para poupar nas férias

7 min
Rapariga a sorrir com caneta e folha à frente em cima da mesa, onde está também o chapéu de sol e óculos, planeia como poupar nas férias

As férias não têm de ser sinónimo de gastos exorbitantes. Com planeamento e alguns ajustes é possível poupar algum dinheiro. Siga as nossas dicas.

Passar alguns dias de férias fora de casa pode sair caro. As despesas com transportes, alojamento, refeições e imprevistos vão-se acumulando e fazem, muitas vezes, com que acabe por gastar mais do que tinha previsto. No entanto, ao adotar algumas estratégias simples, é possível poupar nas férias sem sacrificar o descanso e a diversão. 

Defina um orçamento

O primeiro passo é definir o orçamento. Anote as despesas que poderá ter – viagens (carro, avião e transportes públicos), estadia, refeições, atividades de lazer – e estabeleça um valor máximo que pode gastar. Não se esqueça de contar com imprevistos e extras que possam surgir.

Seja realista ao planear o seu orçamento para evitar um impacto negativo nas suas finanças mais tarde. Certifique-se que tem margem financeira e, se necessário, faça ajustes e dê preferência a opções mais acessíveis, mesmo que isso implique abdicar de algumas coisas.

Pesquise e faça um plano detalhado

Depois de ter o seu orçamento elaborado, é, então, altura de escolher o destino e planear as férias. Pense nos locais que gostava de conhecer, procure recomendações e testemunhos, veja os preços dos voos ou quanto é que terá de gastar com o carro e pesquise por alojamentos na região.

Faça também  um plano diário das suas férias. Defina um roteiro detalhado, com os locais turísticos que quer conhecer (e eventuais preços dos bilhetes), restaurantes, meios de transporte disponíveis no local e formas de se deslocar de um ponto a outro. Desta forma, além de evitar o stress de ter de pensar em atividades em cima da hora, também consegue poupar algum dinheiro e evitar gastos inesperados.

Marque com antecedência ou em cima da hora

Quanto mais perto da data das férias forem marcados os voos e o hotel, mais caro irá ficar. A procura aumenta, a lotação começa a ficar esgotada e os preços tendem a subir. Assim, a melhor forma de garantir que consegue reservar o voo e o hotel que quer a um preço mais acessível, é fazê-lo com alguns meses de antecedência. Isto é particularmente importante se estiver a planear viajar para um destino de férias bastante popular.

Por outro lado, também pode ir pelo caminho oposto e marcar as suas férias mesmo em cima da hora. É uma estratégia um pouco arriscada, já que fica limitado às opções disponíveis, mas pode compensar. Isto porque há companhias aéreas e hotéis que preferem fazer promoções last minute e baixar os preços do que não ter a lotação completa.

Dê preferência à época baixa

Agosto, dezembro e alturas de feriados são épocas bastante concorridas para férias. Optar pela chamada época baixa pode ser uma boa solução para poupar algum dinheiro. Além de conseguir viagens e alojamento mais baratos, também irá desfrutar de umas férias mais tranquilas, já que, à partida, não haverá tantos turistas.

Opte por voos low cost

Já existem muitas companhias aéreas que oferecem voos a baixo custo e descontos ao longo do ano. Esteja atento a promoções e utilize sites comparadores de preços, como o Skyscanner e o Momondo, para conseguir as melhores ofertas.

Escolha alojamentos mais em conta

Tal como com os voos, reservar a estadia com antecedência é a melhor forma de garantir bons preços. Primeiro, deve pensar na localização: um hotel barato mas que fica longe de tudo pode não compensar, já que terá de gastar mais dinheiro em transportes ou  alugar um carro.

Depois, deve considerar que pacote escolher, consoante as suas necessidades. Se quiser poupar dinheiro e evitar ir a restaurantes, a pensão completa ou o regime tudo incluído podem compensar. Se, por outro lado, tencionar passar os dias fora do hotel a visitar praias e monumentos, podem ser mais vantajosos os regimes de estadia com pequeno-almoço ou meia pensão.

Utilize as plataformas que lhe permitem comparar preços, como a Hotelscan, mas tenha em atenção que os valores podem mudar de um dia para o outro. Também pode ligar diretamente para o hotel, já que pode conseguir uma reserva mais barata.

Além dos hotéis, também pode optar pelos hostels, que são mais baratos, ou pelo alojamento local. Ao arrendar uma casa consegue poupar em refeições e, se for de férias com amigos ou com família alargada, pode dividir as despesas.

Vá para fora cá dentro

Se viajar para o estrangeiro não é opção devido aos preços, explorar Portugal pode ser uma boa alternativa. Além das zonas de praia mais conhecidas, o nosso país tem regiões bonitas e interessantes para conhecer. Ao fugir dos centros urbanos evita as multidões e os preços também serão, à partida, mais em conta.

Ao fazer férias em território nacional, alugar uma autocaravana ou optar pelos parques de campismo podem ser alternativas mais económicas aos hotéis e alojamento local.

Leia mais  Como criar um fundo de emergência?

Poupe nas refeições

As refeições diárias em restaurantes podem levá-lo a gastar uma pequena fortuna durante as férias. Se optar por arrendar uma casa ou fazer campismo, cozinhar algumas vezes pode ser uma boa opção para poupar algum dinheiro. Fazer refeições mais leves ao almoço, de sandes ou saladas, também é uma alternativa que sai mais em conta.

O mesmo se aplica aos lanches: passe num supermercado ou mercearia local e compre fruta, água e snacks para evitar gastar dinheiro em cafés e apoios de praia onde as coisas são, por norma, mais caras.

Mas como em tudo deve haver um equilíbrio, reserve algum dinheiro do seu orçamento para jantar fora um ou dois dias e evitar ter de cozinhar constantemente durante as suas férias. Se o fizer, afaste-se dos restaurantes nas zonas turísticas e opte por aqueles onde os habitantes locais vão: geralmente são mais baratos e a comida é melhor.

Aproveite os descontos

Uma das vantagens de planear as férias com antecedência é a possibilidade de aproveitar descontos. Quase todas as atrações oferecem várias modalidades de bilhetes – para crianças e famílias, por exemplo, – que os tornam mais baratos. Além disso, comprar online também é, por norma, mais económico.

Se tenciona visitar museus e monumentos, veja também se há algum dia da semana em que a entrada seja gratuita e planeie as visitas de acordo com isso.

Além dos descontos em atrações, também pode usufruir de promoções nos transportes públicos. Se vai visitar uma grande cidade, faça um roteiro dos locais que quer conhecer e defina as melhores formas de lá chegar. Depois, veja se há passes multiviagens disponíveis, que normalmente dão para vários dias, e saem mais em conta do que comprar cada viagem individualmente.

Evite gastos desnecessários

Muitas das lembranças que se encontram nos destinos turísticos não são realmente autênticas do local, mas sim algo que se pode encontrar em qualquer sítio. Em vez de gastar muito com lembranças turísticas, considere comprar produtos que sejam úteis e representativos da cultura local. Prefira os mercados em vez das lojas turísticas, onde pode comprar bens alimentares, como chocolates, temperos ou bebidas, que são consumíveis e permitem escapar à acumulação de objetos. Evite também comprar as lembranças de última hora no aeroporto, porque os preços são normalmente inflacionados. 

Escolha as formas de pagamento mais vantajosas

Se tem um cartão de crédito que ofereça cashback, ou seja, a devolução de uma percentagem pré-definida daquilo que gastar, pode ser vantajoso utilizá-lo para pagar as férias. A quantia que lhe for devolvida pode, depois, ser usada para outras despesas.

Se vai viajar para fora da zona Euro pondere levantar dinheiro e cambiá-lo antes da viagem, para evitar utilizar os seus cartões de débito ou crédito. Estes estão sujeitos a comissões bancárias sempre que forem utilizados  em lojas, restaurantes ou para levantar dinheiro nos ATM. Em alternativa, pode optar pelos cartões pré-pagos, como o Revolut, em que não paga taxas pelos movimentos.

No caso de precisar mesmo de utilizar os seus cartões, escolha pagar na moeda local em vez do Euro. Mas porquê? Se fizer esta escolha, a transação será convertida pela taxa de câmbio do banco emissor do seu cartão, que geralmente é mais favorável do que a taxa de câmbio oferecida pelo estabelecimento.

Se optar por pagar em Euros, poderá ser aplicada a Conversão Dinâmica de Moeda. Este serviço permite-lhe pagar na moeda do seu país, mas implica taxas de câmbio geralmente mais desfavoráveis e comissões extra.

Faça um seguro de viagem

Os imprevistos acontecem e as suas férias podem não correr como planeado. Por isso, de forma a passar umas férias tranquilas, o melhor é fazer um seguro de viagem. O seguro protege-o em situações de atraso ou cancelamento da viagem, impossibilidade de viajar, despesas médicas, problemas com a bagagem, entre muitos outros. Mas, antes de escolher um seguro, verifique, primeiro, se já não terá as coberturas previstas noutros seguros que tenha, como o do cartão de crédito ou do seguro automóvel.

Se vai viajar dentro da União Europeia, também é importante que leve consigo o Cartão Europeu de Seguro de Doença. Apesar de não ser uma alternativa a um seguro, este cartão gratuito dá-lhe acesso ao serviço nacional de saúde do país onde se encontrar e garante que recebe os cuidados médicos necessários.

Além de todas estas dicas de poupança, é fundamental que conheça os seus direitos enquanto viajante. Se tiver problemas com o seu voo, como atraso, cancelamento ou recusa de embarque por overbooking, com a bagagem ou com a reserva de hotel, existem leis que o protegem.

O que achou?