Dinheiro

Saiba como criar rendimento passivo e ponha o dinheiro a trabalhar para si

5 min
Homem de headphones nos ouvidos, aproveita o tempo livre porque tem estabilidade financeira graças aos rendimentos passivos

O rendimento passivo pode ser o caminho para se conseguir a estabilidade e independência financeira. Neste artigo explicamos-lhe o que é e como o pode obter.

A maioria das pessoas conta apenas com o seu salário como fonte de rendimento mensal. Mas já pensou como seria se tivesse um dinheiro extra todos os meses, sem precisar de trabalhar para o ganhar? O rendimento passivo está cada vez mais na moda e percebe-se bem a sua atratividade: com pouco ou nenhum esforço consegue-se um rendimento extra, que pode ajudar a chegar à independência financeira. 

Rendimento ativo e passivo

Existem dois tipos de rendimentos: o ativo e o passivo. O rendimento ativo é o dinheiro que se recebe em troca de trabalho realizado. Pode ser o salário e as comissões que trabalhadores por conta de outrem e independentes ganham, ou o lucro de quem tem negócios próprios. É, sem dúvida, a forma mais comum de rendimento.

Já o rendimento passivo é o dinheiro ganho sem que seja preciso trabalhar ou  investir grande esforço para o conseguir. São fontes de rendimento passivo, por exemplo, os dividendos de ações e outros investimentos, as rendas de propriedades ou os direitos de autor de projetos artísticos. Apesar de, no início, poder ser preciso algum tempo, dinheiro ou dedicação para criar fontes de rendimento passivo, no futuro é provável que possam gerar dinheiro sem ser preciso mais trabalho.

Quais são as vantagens do rendimento passivo?

O rendimento ativo, ou seja, o salário que se ganha ao final do mês, sempre foi visto como uma fonte segura. Mas, se este for o seu único meio de sobrevivência, caso fique sem emprego perde também o seu rendimento mensal. Assim, pensar em criar fontes de rendimento alternativas pode ser uma excelente estratégia, quer para estar mais protegido ao nível financeiro, quer para conseguir dinheiro extra.

As fontes de rendimento passivo permitem-lhe  assim ter mais segurança e podem ajudá-lo a criar poupanças maiores. Além disso, esta estratégia pode até permitir que receba dinheiro de forma regular para o resto da vida. Num cenário perfeito, pode até mesmo conseguir que os rendimentos passivos sejam suficientes para fazer face a todas as despesas do dia a dia e, aí, alcançar a tão desejada liberdade financeira. A má notícia é que estas fontes só costumam dar lucro a longo prazo, por isso há que ter alguma paciência.

Para ter uma fonte de rendimento passivo o conhecimento sobre o assunto é fundamental para saber qual será a melhor aposta. Também é importante que não se esqueça que poderá haver riscos envolvidos ou despesas extra, como comissões e impostos.

Fontes de rendimento passivo

Existem muitas formas de criar rendimento passivo. Umas mais imediatas e que exigem menos esforço, outras mais trabalhosas. O importante é escolher as que melhor se adequam às suas necessidades, estilo de vida e objetivos.

Investimentos financeiros

A forma mais comum de criar rendimento passivo é através dos investimentos financeiros. Mas existem tantas opções no mercado, que pode ser difícil decidir em qual investir. Para escolher a melhor opção para si deve ter sempre em conta o investimento que quer fazer, os lucros que quer obter e os riscos que está preparado para correr.

As ações são, talvez, o produto financeiro mais conhecido e dão dividendos de forma periódica. Se optar por esta alternativa, deve analisar bem as empresas cotadas em bolsa para escolher a melhor para investir, tendo em conta critérios como a vantagem competitiva, a solidez da empresa e os resultados passados. Não se esqueça que uma das grandes desvantagens das ações é que o mercado é muito volátil e imprevisível, podendo desvalorizar de um dia para o outro. Por isso, se escolher investir em ações, deve fazê-lo sempre de acordo com o seu perfil de investidor. Além das ações, também pode investir em obrigações, que são consideradas de menor risco.

Leia mais  Poupar ou investir, qual a melhor opção?

Outra opção são os fundos de investimento, ou seja, instrumentos financeiros que permitem investir, de forma indireta, em aplicações no mercado de capitais ou no mercado imobiliário. Os ETFs (Exchange Traded Fund) são, tal como os fundos de investimento, um portfólio de ativos. A diferença é que são negociados em bolsa. Os ETFs são considerados mais seguros do que as ações, por exemplo, porque o investimento é repartido por várias empresas e não se concentra apenas numa só.

Além destes produtos financeiros, pode optar ainda por investir em criptomoedas. Se procura opções com capital garantido, tem os certificados de aforro e os PPR.

Rendas imobiliárias

O arrendamento imobiliário é uma das formas de rendimento passivo mais conhecidas. Quer já tenha um imóvel desabitado ou decida investir para adquirir um, o arrendamento pode ser bastante vantajoso em termos de lucro. E neste caso tem duas opções: arrendá-lo a longo ou curto prazo (como o alojamento local). O arrendamento de longa duração será uma opção melhor, já que além de receber a renda mensal durante um longo período, o trabalho que terá com a gestão do imóvel também será mínimo.

Se optar por obter o seu rendimento passivo das rendas imobiliárias, não se esqueça que terá sempre custos com a manutenção da casa e com os impostos.

Produtos digitais

Os produtos digitais são cada vez mais atrativos porque têm potencial para gerar grandes lucros. E podem ser praticamente qualquer coisa: templates que podem ser impressos ou usados em formato digital, cursos online, e-books, etc. Em alguns casos, os produtos digitais apresentam a vantagem de só precisarem de ser criados uma única vez. Depois disso podem ser vendidos de forma ilimitada sem custos adicionais. Não precisa de lidar com logísticas de armazenamento ou envios para os clientes.

No entanto, como com qualquer outra opção, os produtos digitais têm desvantagens. Tem de investir algum tempo a concebê-los e pode ter de pagar comissões para os pôr à venda nas plataformas online. Além disso, e tendo em conta que o mercado está a ficar saturado, precisa de uma boa estratégia de marketing para fazer com que os seus produtos tenham sucesso.

Direitos de autor

Se tem uma veia criativa, também pode pôr o seu talento a render para conseguir um rendimento passivo. O crescimento do comércio online e a facilidade em fazer vendas através da internet fazem com que praticamente qualquer pessoa possa vender a sua arte e ganhar direitos de autor. Pode, por exemplo, comercializar  a sua música em sites especializados ou fotografias nos sites de bancos de imagem. As fontes de rendimento passivo podem ser uma boa estratégia financeira, funcionando quer como uma rede de segurança, quer como uma forma de criar riqueza. Agora que já conhece algumas formas de criar rendimento passivo, só precisa de escolher a opção mais certa para si e começar o seu percurso rumo à liberdade financeira.

O que achou?