Trabalho e carreira

7 mandamentos para uma boa carta de apresentação

3 min
carta de apresentação

Estar atento às oportunidades de trabalho é muito importante. Porém, no momento de se candidatar, escrever uma boa carta de apresentação é essencial. As dúvidas são muitas e, por isso mesmo, procurámos esclarecê-las.

Saiba que, segundo a empresa de recursos humanos Grupo Multipessoal, “breve” e “simples” devem ser os adjetivos que caraterizam a sua carta de apresentação.

Explicar a razão da sua candidatura e exibir conhecimento sobre a entidade a que se candidata é essencial, bem como enumerar as suas mais-valias profissionais para a função pretendida. Utilize palavras-chave e argumentos que correspondam às necessidades procuradas, pois isto chamará à atenção do empregador. Tome a iniciativa e solicite uma entrevista. Todos estes são aspetos importantes.

O Grupo Multipessoal define ainda os sete principais pontos a ter em conta, para que saiba o que deve e o que não deve fazer:

1. Dirija-se à pessoa certa – Comece por dirigir a carta à pessoa certa. Se está a responder a um anúncio onde venha mencionado o nome, faça questão de o referir na carta. Caso seja uma candidatura espontânea procure saber quem é o diretor de recursos humanos. Pode ligar para a empresa e confirmar o nome. Isto prova que tem o cuidado de enviar a carta a uma determinada pessoa.

2. Escreva uma boa frase de abertura – A intenção é destacar-se no meio de muitas respostas. Isto não se consegue com frases usadas como: “Na sequência do seu anúncio…” ou “Por esta via venho candidatar-me…”. Evite linguagem estandardizada ou expressões clássicas e use uma frase de abertura personalizada, original e cheia de entusiasmo. Lembre-se que o objetivo é captar a atenção.

3. Explique porque se candidata – Coloque no cabeçalho/ topo da carta, a rubrica assunto, onde esclarece o objetivo do seu contacto. Depois, na carta, explique o que o atrai na empresa, na função, no setor. Aproveite para mostrar entusiasmo e conhecimento sobre a empresa e os desafios que enfrenta, bem como o modo como a sua função ajudaria a lidar com esses desafios.

Leia mais  Freelancers e Finanças

4. Não se prolongue – A sua carta pode ter no máximo uma página. Convém transmitir a mensagem em frases curtas e dinâmicas, com muitos verbos ativos.

5. Não mencione a sua inexperiência – Se não tiver a experiência ou a formação exigida, não o mencione. Escreva antes acerca da sua capacidade de aprender depressa. Seja positivo sobre si mesmo.

6. Não fale em ordenado – Mencione o ordenado apenas no caso de lhe ter sido pedido no anúncio a que está a responder.

7. Evite erros – Lembre-se que a última impressão é tão importante como a primeira. Confirme sempre o que escreveu, uma gralha será sempre notada. Envie a versão mais atualizada do seu CV.

8. Seja honesto – Não minta sobre o seu curriculum. Por exemplo, se apenas teve uma pequena participação num determinado trabalho não indique que tem longa experiência. Um ponto também que é comum muitos candidatos terem tendência a exagerar é o nível de conhecimento nas línguas. Dizer que é fluente numa língua que não domina pode sair caro. A empresa poderá fazer-lhe uma entrevista ou teste nessa língua e se não corresponder às competências que indicou, dificilmente conseguirá a posição.

Artigos relacionados: