Investimentos

Leasing ou Renting: qual a melhor opção?

4 min

Se precisa de um carro, mas está preocupado com o investimento e os gastos que a compra de uma viatura implica, este artigo é para si. Saiba como funcionam o leasing e o renting, descubra as diferenças e decida qual a melhor solução para si.

Comprar um carro é um passo importante na vida financeira de qualquer um. Trata-se de um investimento visto como necessário, num bem que desvaloriza desde o primeiro minuto. O que deve ter presente é que existem várias alternativas à compra de um automóvel. O leasing e o renting são duas modalidades que lhe permitirão ter uma viatura ao seu dispor sem precisar de desembolsar, de repente, uns bons milhares de euros. 

O Renting

O Renting funciona como um serviço de aluguer de viaturas de longa duração, em que paga uma renda mensal fixa e tudo o resto está incluído. Todos os outros custos associados ao carro, como os gastos com o seguro, o imposto único de circulação, as inspeções, os pneus e outros gastos de manutenção, não são uma preocupação sua.

Um aspeto importante: nesta modalidade, é possível escolher um carro novo.

Qual o valor da renda mensal? Aquilo que vai pagar mensalmente depende do modelo que escolher, da duração do contrato, dos quilómetros que pretende fazer e de alguns serviços extra que queira incluir. Mas o valor é sempre o mesmo, sem surpresas.

E quando o contrato chegar ao fim? A decisão é sua. No final do período de aluguer, escolha o que fazer: renovar o contrato, mudar para outro carro ou até comprar a viatura que andou a conduzir, por um preço interessante.

Quem pode recorrer ao renting? O serviço está disponível para particulares e profissionais.

E se a empresa precisar de uma frota? A solução de renting pode ser aliciante pelo facto de permitir poupar na gestão. Isto é ainda mais revelante quando a empresa tem uma frota composta por diferentes modelos e gamas.

O Leasing

O leasing é uma modalidade de financiamento para viaturas novas ou usadas através da qual a instituição de crédito (locadora) cede ao cliente (locatário) a utilização temporária de um bem – neste caso, um automóvel – em contrapartida do pagamento de uma renda mensal. 

Na prática, no leasing a instituição compra o bem e depois arrenda-o ao cliente durante um determinado período, por regra entre 12 e 96 meses.

O valor mensal é fixo? Pode ser ou não. Depende se optar por uma taxa de juro fixa ou variável. Essa taxa de juro já está incluída na prestação que paga todos os meses.

A quem pertence o carro? A locadora é a proprietária do bem durante todo o período do contrato.

E no fim do contrato? Nessa altura, poderá adquirir o bem, mediante o pagamento de um valor residual (previamente definido no contrato), e o carro passará a ser seu. Para ter uma ideia, a percentagem mais comum do valor residual anda entre 2 a 6% do valor da viatura.

É possível ficar com a viatura antes do final do prazo? Sim. O leasing é um modelo de financiamento, pelo que é possível antecipar o pagamento integral do valor financiado, mediante as condições previstas contratualmente.

Quem pode recorrer ao leasing? O serviço está disponível para particulares e profissionais.

As principais diferenças entre Leasing e Renting

Custos. A nível de custos, em ambos os casos terá de pagar uma renda mensal que, por regra, é mais económica se a sua opção for o leasing. No renting, pagará uma renda superior, mas que já inclui gastos que costumam ser elevados, como despesas de manutenção ou o seguro.

Finalidade. A finalidade do leasing é a aquisição do automóvel no final do contrato. Já o renting é uma solução de aluguer automóvel de longo prazo, em que, apesar da aquisição ser possível, os contratos são feitos por quilometragens e por períodos mais limitados.

Responsabilidade. A nível de serviços, no Renting estão assegurados custos de manutenção, pacote de seguros, impostos ou mesmo assistência em viagem. Com o Leasing todas essas despesas são da responsabilidade do condutor. 

Empresas. Em termos de impacto contabilístico para as empresas, há uma diferença substancial. No renting, a empresa mantém a margem financeira e a capacidade de recurso à banca, porque não se trata de um financiamento bancário. Já no leasing, a viatura incide no balanço da empresa, fazendo parte do ativo da mesma. Isto afeta os rácios de solvabilidade da empresa e diminui a sua capacidade de endividamento.

Conclusões

Qual a melhor opção, no seu caso? A resposta não é linear, uma vez que cada caso é um caso e a melhor opção varia de acordo com diversos fatores e necessidades.

Uma vez que o fator económico será importante, antes de decidir é essencial informar-se sobre as diferentes ofertas presentes no mercado. Procure por campanhas e faça simulações junto de várias entidades. Para perceber qual o modelo mais benéfico, tenha em conta o preço de aquisição do automóvel, mas também os custos que a contratação do serviço e a manutenção irão acarretar.

Desta forma, pode dizer-se que o leasing é, por norma, mais utilizado por particulares e tem subjacente a ideia de comprar o bem, ainda que a prestações. Já o renting é mais comum para empresas e tem como base o objetivo de usar o bem durante um período de tempo, sem intenção de ficar com os carros no fim do contrato (apesar de tal ser possível).

Qualquer uma das opções, são consideradas alternativas viáveis para quem necessite de equilibrar o seu orçamento.