Direitos e Deveres

Como manter o animal em segurança durante um desastre natural

3 min

Os desastres naturais acontecem muitas vezes de forma inesperada. Basta pensarmos no que tem acontecido em Portugal (e no mundo) nos últimos anos. Sem que nada o faça prever, cheias, incêndios incontroláveis e outras calamidades naturais tomam grandes proporções e colocam populações inteiras em risco.

Já alguma vez pensou em como se preparar para um evento destes? Sabe o que fazer em caso de cheias, incêndios, deslizamentos de terra ou terramotos? E que fazer para proteger a família e os seus animais de estimação numa situação de emergência?

Muitas pessoas já estão consciencializadas para ter sempre à mão um kit de emergência preparado para situações inesperadas. Mas, se tem na dispensa alguns enlatados, água e uma caixa de primeiros socorros para si e para a família, não se esqueça de fazer o mesmo em relação aos animais de estimação.

No caso de uma catástrofe, para levar consigo e salvar os seus animais, há que estar preparado e, acima de tudo, saber como agir. Aqui ficam algumas dicas.

1. Saiba sempre onde, e como, obter informações acercas dos alertas e ocorrências de desastres naturais. É a melhor forma de se manter sempre em cima do acontecimento e das últimas noticias e alertas. Uma boa fonte de informação, sempre atualizada, é o site da proteção civil onde encontra sempre todos os alertas de ocorrências ativas.

2. Tenha sempre à mão um telefone com bateria suficiente para fazer uma chamada de emergência para o 112.

3. Tenha sempre consigo uma cópia dos seus documentos de identificação, dos documentos dos familiares e do seu animal de estimação. Se possível entregue cópias desses documentos a alguém da sua confiança.

4. Antecipadamente, pense num plano de fuga em caso de emergência. Para treinar e perceber se funciona, pode até fazer uma simulação, juntamente com a família e com os animais, para ter a certeza de que, em caso de necessidade, todos sabem como agir.

5. Tente treinar o animal de estimação a entrar e sair da caixa transportadora para que, numa urgência, ele não resista a entrar na caixa e obedeça à ordem de comando mesmo em situação de stress. Lembre-se de que a transportadora poderá ser o abrigo do seu animal.

6. Tenha o seu animal identificado com chip e com uma placa com o nome na coleira. No caso de uma emergência ele pode assustar-se e fugir. E se estiver identificado, será mais fácil encontrá-lo.

7. Tenha sempre à mão o boletim de vacinas do seu animal. No caso de uma calamidade poderá ter de provar que a saúde dele está bem e que tem todas as vacinas em dia.

8. Prepare um kit com o básico e essencial para salvar a família e não esqueça de ter sempre preparado e à mão um kit de emergência para o seu animal de estimação. No caso de um cão ou gato, deverá ter num saco de emergência comida, água e uma manta para o aquecer. Desta forma, em caso de evacuação, terá o básico para manter o animal durante alguns dias.

9. Coloque o seu nome e contactos telefónicos no kit de sobrevivência do seu animal. Se o perder estarão ali os seus contactos.

10. Lembre-se de que, por vezes, os animais não são aceites em abrigos públicos. Por isso, tente saber de um local seguro, seja a casa de amigos ou familiares ou um outro abrigo, para onde se possa deslocar com os seus animais.

No caso de uma emergência nunca deixe o seu animal para trás, nem o deixe sozinho, fechado em casa ou num carro, entregue à sua sorte. A maior probabilidade que ele tem de se salvar é se estiver consigo.

Se considera o seu animal mais um membro da família, trate-o como tal.