Poupar

Economia circular: o que fazer à roupa usada?

4 min

Não sabe o que fazer com a roupa que já não usa? Há várias possibilidades, e todas passam por dar uma nova oportunidade às suas peças. Como? Nós explicamos.

A indústria têxtil é uma das mais poluentes e com maior impacto negativo a nível ambiental. O facto de termos cada vez mais acesso a roupa mais barata não ajuda. É certo que há já muitas marcas que apostam em artigos com materiais reciclados e sustentáveis, mas a produção em massa continua, e com ela, o consumo excessivo. 

Há maneiras de minimizar este impacto e começa logo nas nossas casas. A regra deverá ser estender ao máximo o tempo de vida útil das peças que já não usamos.

Em primeiro lugar, é preciso repensar o consumo de roupa. Será que precisa mesmo daquela peça? É provável que até tenha uma idêntica no armário. O consumo desmesurado resulta em roupa a mais no guarda-roupa. A um certo ponto, não usamos sequer o que temos, mas não resistimos à tentação de comprar, sobretudo se nos deparamos com peças baratas. Pense primeiro. Caso opte por comprar, avalie as opções mais sustentáveis, entre as quais a possibilidade de comprar em segunda mão.

Além de comprar com consciência, a sustentabilidade também passa por outros caminhos: vender, trocar, doar, transformar ou reciclar. Há um leque de diferentes hipóteses para dar uma nova vida à roupa que já não usa. Desta forma combate a pegada ecológica da roupa e faz um favor à sua carteira.

Contamos-lhe tudo.

Venda a roupa que já não usa

Não há nada mais sustentável que usar aquilo que já existe. E tendo em conta que a moda é cíclica e que há peças para todos os gostos, vender o que já não usa, pode ser uma boa opção. Numa primeira fase faça uma triagem à roupa que pretende vender e avalie se está em condições de ser utilizada por outra pessoa. A resposta é sim? Avance. Pode começar por vender a familiares e amigos ou até nas suas redes sociais. Além disso, há cada vez mais soluções online. Existem em Portugal várias aplicações e plataformas que permitem a venda de artigos em segunda mão. Para isso, basta ter acesso à internet e tirar fotografias às peças.

Participe em mercados de troca de roupa usada

Se não se der bem com as novas tecnologias, também pode optar por outros métodos, como as tradicionais vendas de garagem, onde pode desfazer-se da roupa a um preço mais amigável. Todos ficam a ganhar.

São cada vez mais as iniciativas para trocar roupa usada e promover a economia circular. Ao longo do ano vão decorrendo vários mercados para o efeito, que são divulgados nas redes sociais, basta ficar atento.

Doe as peças de roupa que já não quer

Doar é também uma boa forma de prolongar o tempo de vida útil das peças de roupa que já não usa. Pode começar por doar a familiares ou conhecidos. Além disso, em todas as áreas de residência haverá dezenas de famílias carenciadas a precisar de roupa. Pode fazer a doação a lares de acolhimento, instituições de solidariedade social ou até na sua paróquia.

Transforme a roupa usada noutras peças

Já ouviu falar do “upcycling? É o processo de transformar material usado ou em fim de vida em algo novo. E isto sem recorrer a processos industrializados e prejudiciais ao ambiente. Por exemplo, pode utilizar uma camisa para fazer os famosos “tote bags” para as compras, transformar um vestido num avental, ou umas calças de ganga numa carteira. Basta utilizar a imaginação e ter jeito para a costura. Se não for o seu forte, assista a tutoriais na internet ou, porque não, faça um curso online e aprenda técnicas simples para transformar as suas roupas.

Reutilize a roupa para as limpezas domésticas

Peças de roupa rasgadas, manchadas ou em mau estado também podem ser reutilizadas. A maneira mais fácil e ecológica é transformá-las em “trapos” e utilizá-las nas limpezas domésticas. Quem nunca?

Deposite-as em contentores de roupa usada

Há cada vez mais contentores de roupa espalhados pelo país, onde pode depositar as peças que já não usa e que só estão a ocupar espaço. De acordo com a União Europeia, até 2025 todos os Estados-membros terão de fazer este tipo de recolha.

Os contentores estão distribuídos por todo o país e são diferentes. No exterior encontra a indicação dos projetos e entidades a que estão afetos, para que saiba para que causas está a contribuir.

Cada contentor contém uma lista de regras de utilização e quando depositadas, as peças de roupa passam por um processo de triagem. Caso estejam em bom estado, são encaminhadas para instituições ou distribuídas por outros projetos de solidariedade social para que possam ser reutilizadas. Se as peças estiverem estragadas ou em mau estado, são encaminhadas para a reciclagem.

Acima de tudo, recicle toda a roupa que conseguir

Todas as opções anteriores são formas viáveis e sustentáveis de se desfazer das peças que já não precisa.

Venda, doe, transforme, reutilize, mas evite colocar a roupa que já não usa no lixo indiferenciado. Só em Portugal, há cerca de 5 milhões de toneladas descartadas anualmente, que acabam em aterros ou incineradas, o que impossibilita a reciclagem. E a reciclagem de têxteis evita a emissão de gases bastante prejudiciais para o nosso planeta.

É muito melhor para todos se depositar o que já não quer em contentores para o efeito, para que sigam o caminho certo. Além de minimizar o impacto ambiental, o material reciclado pode ser usado para enchimento de colchões, novos tecidos e fios, revestimentos e tantas outras opções.

Tenha sempre presente que os materiais têxteis são muito difíceis de reciclar devido aos vários tipos de fibras que existem numa só peça e que, por esse motivo, o melhor a fazer é reduzir ao máximo o seu consumo.