Impostos

Quer saber como são gastos os seus impostos?

5 min
como são gastos os seus impostos?

Quando nos questionamos “Para onde vai o dinheiro dos meus impostos?”, tentamos compreender o destino e a finalidade do dinheiro que ao longo do ano gastamos em impostos.

Os impostos desempenham um papel crucial no financiamento de serviços públicos essenciais, como saúde, educação, segurança e infraestruturas. Questionar-se para onde vai o dinheiro dos impostos expressa uma preocupação legítima sobre a transparência e a eficácia na gestão dos recursos públicos.

É importante que os contribuintes entendam como as autoridades utilizam os impostos para promover o bem-estar social e manter o funcionamento adequado da sociedade. Neste artigo, explicamos-lhe o que é feito com o dinheiro dos seus impostos.

Que impostos se pagam em Portugal?

Em Portugal, existem diversos impostos que os cidadãos e as empresas podem ter que pagar.

Os impostos diretos incidem sobre o rendimento e os indiretos incidem sobre o consumo de serviços e bens de determinadas áreas de atividade.

Impostos diretos

  • Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS): Este é o imposto sobre o rendimento pessoal. Os trabalhadores dependentes e independentes estão sujeitos ao IRS, que incide sobre os seus rendimentos.
  • Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC): Este é o imposto sobre o rendimento das empresas. As empresas residentes em Portugal estão sujeitas ao IRC com base nos seus lucros.
  • Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI): O IMI é um imposto municipal sobre a propriedade de imóveis. Os proprietários de imóveis em Portugal estão sujeitos a este imposto.

Impostos indiretos

  • Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA): O IVA é um imposto sobre o consumo que incide sobre a maioria dos bens e serviços. Existem diferentes taxas de IVA para diferentes produtos e serviços.
  • Imposto sobre Veículos (ISV): Este imposto incide sobre a matrícula e importação de veículos automóveis.
  • Imposto Único de Circulação (IUC): O IUC é um imposto anual que incide sobre a propriedade de veículos automóveis e embarcações.
  • Imposto do Selo: Este é um imposto que incide sobre várias transações, contratos e documentos.
  • Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT): Este imposto incide sobre a transmissão onerosa de imóveis, como a compra e venda de propriedades.
  • Imposto sobre Heranças e Doações (IMT): Incide sobre as transmissões gratuitas de bens por herança ou doação.
  • Imposto sobre os Produtos Petrolíferos e Energéticos (ISP): está incluído nos Impostos Especiais de Consumo e incide sobre a gasolina, o gasóleo, o gás propano e butano, o petróleo e o GPL destinados à venda ou ao consumo como carburante ou como combustível, com exceção da turfa e do gás natural.

Estes são apenas alguns exemplos e há outros impostos e taxas específicos em Portugal.

É importante estar ciente das obrigações fiscais específicas relacionadas à sua situação, seja como trabalhador, empresário ou proprietário. E estar consciente de que nunca deve deixar de pagar os seus impostos, porque apenas conseguirá agravar a situação, fazendo aumentar a dívida devido às multas e aos juros de mora.

Qual o destino dos impostos pagos em Portugal?

Em Portugal, os impostos são utilizados para financiar uma variedade de despesas e serviços públicos. Estas são algumas das principais áreas em que os impostos são geralmente gastos:

  • Educação: Os impostos contribuem para o financiamento do sistema educacional, incluindo escolas públicas, programas de formação e bolsas de estudo.
  • Saúde: Os serviços de saúde são financiados em parte pelos impostos, garantindo o acesso aos cuidados médicos para a população.
  • Segurança Social: Os impostos ajudam a financiar os sistemas de segurança social, incluindo pensões, subsídios de desemprego e outros benefícios sociais.
  • Infraestrutura: Parte dos impostos é destinada à construção e manutenção de infraestruturas, como estradas, pontes, sistemas de transporte público e outras obras públicas.
  • Segurança Pública: O financiamento dos serviços policiais e do sistema judicial é suportado pelos impostos para manter a ordem e garantir a aplicação da lei.
  • Defesa: Uma parte dos impostos é alocada para as despesas militares e de defesa nacional.
  • Administração Pública: Os custos associados à administração do governo, salários de funcionários públicos e despesas operacionais são financiados pelos impostos.
  • Cultura e Desporto: Alguns impostos podem ser direcionados para apoiar atividades culturais, eventos esportivos e outras iniciativas culturais.
  • Ambiente: Investimentos em programas de proteção ambiental e sustentabilidade podem ser financiados através dos impostos.
Leia mais  Novas regras para vendas online em plataformas

Note-se que a alocação específica de recursos pode variar de ano para ano, dependendo das prioridades governamentais, políticas e das necessidades da sociedade.

Pode obter informações mais detalhadas e atualizadas, consultando os relatórios oficiais do governo português sobre o orçamento e as finanças públicas.

Como sei para onde vão os meus impostos?

O Governo passou a mostrar aos contribuintes qual o destino dos impostos que pagam e a função que têm na comunidade. Para isso, o Fisco disponibilizar essa informação aos contribuintes no Portal das Finanças, na altura em que é submetido a declaração anual de IRS.

Na próxima vez que submeter uma declaração de IRS repare no gráfico que é apresentado e saiba em que áreas vão ser aplicados os impostos arrecadados e quais as percentagens alocadas a cada área.

Já agora, sabe ler o seu recibo de vencimento?

Através do seu recibo de vencimento pode ver quanto desconta em impostos diretos mensalmente. Geralmente, um recibo de vencimento contém várias informações importantes relacionadas ao salário e às deduções.

Estes são os elementos comuns que encontrará no seu recibo de vencimento:

  • Identificação do Empregador e do Empregado:

Nome e endereço do empregador.

Nome e número de identificação fiscal (NIF) do empregado.

  • Período de Pagamento:

Data do recibo.

Período ao qual o pagamento se refere (pode ser mensal, quinzenal, etc.).

  • Informações sobre o Emprego:

Cargo ou função do empregado.

Categoria profissional.

  • Vencimento Base:

Valor bruto do salário antes de quaisquer deduções ou contribuições.

  • Descontos para a Segurança Social:

Valor deduzido para a Segurança Social do empregado e do empregador.

  • Impostos:

Dedução de imposto sobre o rendimento (IRS) retido na fonte.

  • Outras Deduções:

Possíveis deduções, como contribuições para planos de pensão, seguros de saúde, entre outros.

  • Subsídios e Abonos:

Subsídios de alimentação, subsídios de transporte ou outros abonos.

  • Total Líquido a Receber:

Valor final que o empregado receberá após todas as deduções.

  • Informações Adicionais:

O recibo de vencimento pode ainda incluir informações sobre horas extras, prémios ou quaisquer outros benefícios.

É essencial que os trabalhadores estejam atentos ao seu recibo de vencimento para garantir que todos os valores estejam corretos e compreender as diferentes deduções e contribuições. Se houver dúvidas ou se algo não estiver claro, é aconselhável entrar em contato com o departamento de recursos humanos da empresa para obter esclarecimentos.