Poupar

Ensine os seus filhos a poupar

4 min
Ensine os seus filhos a poupar

Introduzir o tema da poupança na vida dos mais novos é um passo fundamental. Mais do que falar sobre a importância de poupar, é preciso criar hábitos. Conheça as estratégias que lhe trazemos para ensinar os seus filhos a serem poupadinhos.

Motivar os seus filhos para a poupança é um passo essencial e que os pais não devem descurar. Incutir-lhes o valor do dinheiro, ensiná-los a estabelecer prioridades e a definir objetivos é meio caminho andado para se tornarem adultos financeiramente responsáveis.

Pode ser um processo desafiante, sobretudo com os mais pequenos, mas se implementar alguns métodos de poupança na sua rotina, pode tornar-se uma tarefa divertida.

Os especialistas defendem que a idade entre os 5 e os 6 anos é a adequada para introduzir o tema do dinheiro e da poupança na vida das crianças. Comece por estratégias básicas e vá depois introduzindo conceitos mais complexos, até que as crianças tomem elas próprias a iniciativa de poupar e entendam a importância de fazê-lo. Isso fará com que, no futuro, desenvolvam uma relação saudável com o dinheiro e sejam capazes de fazer escolhas informadas e responsáveis.

Neste vídeo partilhamos 3 regras para introduzir o tema do dinheiro na vida dos seus filhos.

Para ensinar os seus filhos a poupar, siga estas dicas e verá que não é assim tão complicado. No final, os miúdos vão surpreendê-lo pela positiva.

1. Definam objetivos para a poupança

Em conjunto, criem objetivos concretos de poupança. Por exemplo, se o objetivo for a compra de um brinquedo, defina esta meta e ajude a criança a alcançá-la. Além de ser divertido, vai ser certamente mais estimulante para todos. Ajude os miúdos a entenderem a diferença entre poupar para objetivos a curto e longo prazo, ou seja, é importante que tenham noção que poupar para um brinquedo não é o mesmo que poupar para uma viagem, por exemplo.

Poupar dinheiro para alcançar um objetivo ajuda também a que os seus filhos consigam perceber o verdadeiro valor das coisas.

2. Estimule o uso do mealheiro para poupar dinheiro

Ao contrário do que se possa pensar, o mealheiro não caiu em desuso e é uma forma de motivar os miúdos a pouparem. Neste caso, ter um objeto de depósito permite a criação de rotinas importantes para conseguir juntar dinheiro para um determinado objetivo. Proponha às crianças que desenhem os seus objetivos de poupança e cole-os no mealheiro.

Utilizar mealheiros transparentes é uma boa estratégia. É apelativo poder ver o dinheiro a crescer e ter a noção de que estão a trabalhar para a concretização de um objetivo. É mais estimulante para as crianças conseguirem visualizar a evolução da poupança à medida que vão colocando dinheiro no mealheiro do que apenas imaginar que isso acontece.

Sempre que possível, coloque algumas moedas no mealheiro na presença dos seus filhos, de forma a incentivá-los também a guardarem dinheiro para poderem colocá-lo ali. O facto de presenciarem este gesto vai incentivá-los a fazerem o mesmo.

Leia mais  Tem criptomoedas? Saiba se vai pagar IRS

3. Contem o dinheiro do mealheiro em conjunto

Juntamente com os seus filhos, contem o dinheiro com alguma regularidade. Percebam, em conjunto, quanto já conseguiram amealhar e quanto falta para conseguirem atingir o objetivo. É uma forma de controlar o dinheiro depositado e de estimular a motivação das crianças. Além disso, é uma boa estratégia para ensiná-los a saber esperar e a ser paciente. E esse é um dos caminhos para o sucesso.

4. Recorra a uma solução de poupança

Se o objetivo da poupança é fazê-la crescer a médio ou longo prazo, então pode sempre recorrer a um banco. Quando estiverem preparados, leve os seus filhos ao banco e invista numa solução de poupança, explicando-lhes para que serve e como funciona. Transmita-lhes a ideia de que o dinheiro amealhado também pode servir para criar ou reforçar um fundo de emergência e que é importante para assegurar o seu futuro.

5. Dê aos seus filhos uma semanada ou mesada

A mesada ou semanada é uma boa ferramenta para educar financeiramente. Para ajudar uma criança ou jovem a compreender o verdadeiro valor do dinheiro, atribua-lhe uma mesada ou semanada, para que se sinta financeiramente mais responsável. Desta forma, vai obrigá-lo a utilizar o dinheiro moderadamente e a estabelecer prioridades. Segundo os especialistas, a semanada deve ser dada a partir dos 6 anos e a mesada a partir dos 10.

6. Ensine às crianças o valor do trabalho

Quando sentir que o seu filho já tem idade e maturidade para tal, encoraje-o a encontrar uma ocupação durante as férias escolares, para ganhar dinheiro extra e poder comprar aquilo que tanto deseja. Outro desafio que pode lançar-lhe é ajudar nas tarefas da casa a troco de alguma remuneração. Esta é uma boa forma de lhe incutir o valor do trabalho. Lavar o carro dos pais, arrumar a estante dos livros ou simplesmente dobrar meias lavadas ou outra tarefa que saiba que a criança ou jovem consegue fazer são exemplos de “trabalhos” que há para fazer em casa e que podem ser executados pelos mais novos a troco de alguns euros.

7. Introdução de outros conceitos financeiros

Quando atingirem uma determinada idade, por exemplo, a partir dos 16 anos, comece a transmitir aos seus filhos alguns conceitos financeiros mais complexos, como o crédito, as contas bancárias ou os seguros. Explique, por exemplo, as vantagens e desvantagens de recorrer a um empréstimo financeiro, as circunstâncias em que, um dia, poderão fazê-lo e as várias finalidades e responsabilidades associadas aos créditos.

Portugal está na cauda da Europa em literacia financeira e combater esta questão está, em grande parte, nas mãos dos pais.

O que achou deste artigo?